Recuperação da Informação

Este texto é um rascunho criado para facilitar o processo de consolidação dos conceitos acerca do tema em preparação para a prova da seleção de doutorado do curso de Ciência da Informação da Universidade de Brasília, todavia é inicial e, por esse motivo, pode conter incorreções.

Recuperação da Informação

O tema de Recuperação da Informação é tratado por Brascher em seu trabalho de 2002. Nele o autor conceitua o que se entende por Recuperação da Informação retomando o fato de ser este um problema Constante na sociedade e necessário para o funcionamentode grande parte dos sistemas computacionais.

Embora este problema seja comum e frequente a recuperação da informação ainda não foi resolvida de maneira satisfatória pelos avanços computacionais obtidos até o momento. A recuperação da informação pode ser realizada basicamente por duas estratégias principais:

a) As linguagens documentárias a exemplo do Tesauro, que visa cobrir um domínio específico do conhecimento e que, por isso, contém termos que se relacionam semanticamente, e das Ontologias, especificações formais que visam descrever estruturas conceituais de domínios específicos

b) As linguagens naturais que são baseadas nas buscas por palavras e que por isso acabam gerando ambiguidade.

Os maiores mecanismos de busca, tais como o Google, optaram pela segunda estratégia, o que permite a eles trazerem dezenas de milhares de resultados para buscas sem contudo permitir que apenas os resultados relevantes sejam de fato apresentados pelos usuários. Todavia não existe ainda hoje nenhuma ferramenta de massa que permita utilizar linguagens documentárias para recuperação da informação p0r parte do grande público.

Esta entrada foi publicada em Ciência da Informação, Doutorado. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>